Imposto de Renda

Ações: conheça a tributação na Bolsa de Valores

Alice Porto 13.07.2021 3 minutos de leitura
Ações: conheça a tributação na Bolsa de Valores

Se você é investidor macaco velho, já está mais do que familiarizado com as ações e sabe que, se investiu, tem obrigações fiscais para cumprir, não é mesmo? 

Agora, se você é novo por aqui, vou te contar: investiu em ações? Cuidado, o leão da Receita Federal já está de olho. Afinal, se investir R$1,00 na Bolsa, já precisa calcular, pagar DARF, se tiver, e entregar a Declaração Anual

Mas calma, não precisa se assustar. A tributação de Bolsa não é difícil, só é detalhada. Mas calma, para cada passo eu estou aqui para te ajudar. Vem com a Contadora da Bolsa que eu te ensino!

O que são ações? 

As ações são negociadas na Bolsa de Valores através de corretoras. Elas representam um pedacinho do capital social de uma empresa. Se você investe numa ação, se torna sócio e, portanto, um acionista minoritário, do negócio escolhido. 

Um prédio completo e um pedaço de prédio, simbolizando ações.

Ao se tornar sócio de uma empresa, você pode lucrar ou perder, de acordo com seu desempenho, certo? As ações funcionam da mesma maneira mas, ao contrário das sociedades reais, elas são menos burocráticas, já que são negociadas na Bolsa de Valores.

Assim como em todos os outros tipos de investimentos, você deve calcular mensalmente as negociações das suas ações, para que:

Se você investe em ações, ou em outros investimentos em renda variável, pode acreditar em mim: sua preocupação top 1 deve ser, é claro, ganhar dinheiro na Bolsa. Mas a preocupação top 2 não pode ser outra, senão a parte fiscal que inclui os cálculos mensais 

Se não cuidar disso, meu amigo investidor, o leão te pega e você corre risco de ter o CPF bloqueado

Como calcular venda de ações? 

Apesar de muito importante, o cálculo de ações não tem mistério. Espera o mês que você operou na bolsa fechar, pega toda documentação referente aquele mês: extrato e notas de corretagem. Depois, já pode se jogar nos cálculos. 

Fiz uma listinha com sete passos para você calcular suas ações e mandar ver na tributação de Bolsa: 

  1. Comprou? Então soma todas as taxas das suas notas de corretagem ao custo das ações  para chegar no custo de aquisição;
  1. Comprou mais ativos? É a mesma ação? Faz o custo de aquisição pela média ponderada. Se tiver mais de um título na nota, rateia as taxas proporcionalmente;
  1. Vendeu? Abate as taxas das suas notas de corretagem para chegar na sua venda de ações líquida;
  1. Por fim, é só encontrar o resultado do mês: você deve abater a venda líquida no custo de aquisição das compras para chegar no resultado total do mês;
  1. Encontrou? Agora analisa seus possíveis resultados.

Resultado do cálculo de ações:

Deu prejuízo? Anota para compensar nos lucros futuros.

Agora, se for lucro isento, ou seja, se seu total de vendas no mês foi inferior a 20k, só o lucro de ações, swing trade, na ordem comprou/vendeu é isento de I.R. 

Para fechar, se seu resultado for lucro tributável acumulado, ou seja, abateu todos os prejuízos do mês corrente e os acumulados de meses anteriores e, ainda assim, ficou com resultado positivo, pode passar para o próximo passo;

  1. Alíquota! Aplica a alíquota de I.R. para cada operação: 15% para swing, 20% para day trade e 20% para FIIs.

Tudo pronto? Agora é só descontar o IRRF acumulado e se jogar de cabeça no seu troféu de investidor, a DARF!

DARF proveniente da venda de ações.

Ah! E vale lembrar: seja lucro tributável, lucro isento ou prejuízo, você deve informar seu resultado na Declaração Anual. 

Viu? A tributação de ações não é difícil, só é detalhada. E é claro que se você precisar de uma forcinha a mais, eu estou aqui para te ajudar!

Alice Porto
Alice Porto Contadora da Bolsa
Alice Porto é graduada em Ciências Contábeis pela PUC Minas e tem 25 anos de experiência em gestão empresarial. Especializada em contabilidade para investidores da Bolsa de Valores, ela é fundadora do canal @contadoradabolsa e autora do livro "101 Perguntas e Respostas Sobre Tributação em Renda Variável".

Leia também