Investimentos no Exterior

Bolsa de Valores Americana: investi, e agora?

Alice Porto 19.04.2021 4 minutos de leitura
Bolsa de Valores Americana: investi, e agora?

Se aventurar na Bolsa de Valores americana é uma grande conquista! Explorar novos mercados e diversificar a carteira é um grande passo na vida do investidor de Bolsa. 

Mas lembre-se: com novos mercados, vem novas regras de tributação. E eu estou aqui para te dizer que a tributação da Bolsa de Valores americana não é difícil, só é detalhada. Vem com a Contadora da Bolsa que eu te ensino.

Leão da Bolsa americana, na pose do tio Sam "i want you".

O que é a Bolsa de Valores Americana?  

Na verdade, no caso dos EUA, não estamos falando de apenas uma Bolsa de Valores americana, mas sim de várias. 

Ao contrário do Brasil, o mercado de investimentos dos Estados Unidos conta com diversas Bolsas. As principais são a NASDAQ e a NYSE.

Assim como no Brasil, você pode escolher seus ativos e movimentar seu dinheiro através dessas Bolsas. Legal, né? E pode ficar tranquilo: não é ilegal investir nos Estados Unidos. 

Mas cuidado, existem dois pontos nos quais você precisa prestar atenção:

  1. O dinheiro usado para investir nos EUA tem que ter lastro fiscal aqui no Brasil;
  2. Você deve cumprir com todas as suas obrigações fiscais. Se não cumprir, pode ter uma grande dor de cabeça e problemas com o leão da Receita Federal.

Investiu $1,00 na Bolsa de Valores americana? Tem que entregar a Declaração Anual

Assim como no Brasil, se você movimentar nos Estados Unidos, ainda que seja apenas $1,00, já se torna obrigado a entregar sua Declaração Anual, caso contrário o leão da Receita Federal te pega. 

A Declaração Anual informando suas movimentações nas Bolsas americanas deve ser entregue aqui no Brasil, e olha que delícia: o programa para declarar investimentos no exterior é o mesmo usado para declarar os investimentos daqui, ou seja, o IRPF.

Porém, para declarar seus investimentos dos Estados Unidos, você terá que fazer uso de dois sisteminhas, que devem ser preenchidos no decorrer do ano e importados no programa IRPF, na hora de preencher sua Declaração Anual. São eles: 

  • Carnê Leão, para informar o dividendos;
  • GCAP, para informar ganho de capital.

Como fazer os cálculos dos investimentos nos Estados Unidos?

O cálculo de Imposto de Renda nos EUA deve ser feito mensalmente. Ou seja: Fechou o mês? Já junta toda a documentação e bota a mão na massa. 

Se você calcular os resultados das suas vendas todos os meses, além de ter um maior controle dos seus investimentos, vai conseguir preencher sua Declaração Anual com muito mais facilidade. Seus cálculos não são um inimigo, mas sim um facilitador! 

Cálculo do Imposto de Renda

O cálculo de IR nos EUA não é muito diferente do cálculo no Brasil. Seu documento base é o extrato, que já vem com todos os números mastigados. E a premissa é a mesma: 

  1. Primeiro você calcula seu custo de aquisição;
  2. Depois calcula o valor da venda;
  3. Abate os impostos e confere as isenções;
  4. Para então chegar ao resultado!

Se tiver ganho de capital e ele não for isento de IR (falaremos sobre isso já já), pode agarrar seu troféu do investidor: a DARF! Ah, e lembrando que a alíquota do Imposto de Renda do investidor nos EUA é de 15% para todos os tipos de movimentações. 

Agora, se seu resultado for de prejuízo, a notícia é triste: vai ter que amargar. Infelizmente não dá para compensar o prejuízo nos Estados Unidos. Se perdeu, perdeu. Chato, né? 

Mas atenção: tem mais uma coisinha que é diferente…

Cálculo da conversão do dólar

Se você é um investidor brasileiro movimentando nos EUA, temos aí um impasse: sua moeda é o Real, mas as movimentações no exterior são feitas em Dólar. E agora?

Bem, aí entra o cálculo da conversão da moeda. 

Não precisa se assustar, porque seguindo minha diquinha não tem erro:

  • Se você compra um ativo, está saindo dólar da sua conta, portanto, você vai converter pelo dólar de venda;
  • Agora, se você vende um ativo, está entrando dólar na sua conta, portanto, você vai converter pelo dólar de compra;
Bolsa americana

Clareou? Easy peasy, né?


Isenção de I.R. nos EUA: como funciona? 

Trago boas notícias: o mel do investidor, a adorada isenção de Imposto de Renda, é válida nas vendas até 35 mil reais!!! Ou seja: vendeu menos de R$35.000,00? Todo o seu lucro está isento de IR. 

E melhor, todos os tipos de operação entram nessa isenção: stocks, reits, ETF e day trade.

Pensa na isenção de imposto nos Estados Unidos como um grande caldeirão: entra tudo que é movimentado na Bolsa. Bom demais, né?

Caldeirão da Bolsa americana

Viu, só? A tributação na Bolsa de Valores americana não é difícil, só é detalhada. Agora que você já sabe tudo sobre cálculos e Declaração do investidor nos Estados Unidos, está liberado se jogar e ficar de boa com o leão gringo. E se precisar de uma equipe de especialistas para resolver seu IR de Bolsa para você, a minha está à disposição.

Alice Porto
Alice Porto Contadora da Bolsa
Alice Porto é graduada em Ciências Contábeis pela PUC Minas e tem 25 anos de experiência em gestão empresarial. Especializada em contabilidade para investidores da Bolsa de Valores, ela é fundadora do canal @contadoradabolsa e autora do livro "101 Perguntas e Respostas Sobre Tributação em Renda Variável".