Imposto de Renda

Fundos Imobiliários e a tributação: tudo que o investidor de Bolsa precisa saber

Alice Porto 01.06.2021 3 minutos de leitura
Fundos Imobiliários e a tributação: tudo que o investidor de Bolsa precisa saber

Não importa se é ação, opção, day trade, swing trade ou Fundos Imobiliários, os famosos FIIs: se entrou na Bolsa de Valores, é para prosperar, é ou não é? 

E mais do que isso: não importa qual é o tipo de operação, se investiu R$1,00, você tem obrigações tributárias para cumprir. Se você quer saber como funcionam os Fundos Imobiliários e sua tributação, vem comigo que eu te ensino! 

O que são Fundos Imobiliários?

Investir em FIIs é como investir em imóveis de verdade, mas sem as burocracias de cartório, registros e etc. 

É como se você se tornasse sócio do estabelecimento, ao comprar uma fatia dele. Essas fatias, chamadas de cotas, são negociadas na Bolsa de Valores.

Fundos imobiliários

Os FIIs são uma pedida interessante no universo do investimento em renda variável, mas atenção: os Fundos Imobiliários também exigem atenção na parte tributária.

Por que calcular o IR sobre os Fundos de Investimentos na Renda Variável?

Como em todos os tipos de investimentos em renda variável, você deve fazer os cálculos do custo de aquisição no caso das compras, e do resultado total dos meses com vendas dos seus FII’s, para garantir que não vai ser pego pelo Leão da Receita Federal. 

Os cálculos servem para você entender como estão suas movimentações, compensar seus prejuízos e pagar suas DARFs em dia, além de, é claro, ter tudo pronto para quando chegar a época da entrega da Declaração Anual

Fundos imobiliários

Para te ajudar nessa missão, fiz um passo a passo para você entender como calcular seu I.R. de fundos de investimento imobiliário. Pode acreditar: não tem mistério.

Como calcular o IR sobre os FIIs?

Assim como nos cálculos de outros tipos de investimento, você deve, ao final de cada mês, juntar toda a documentação, como extratos, e notas de corretagem, para encontrar:

  1. Seu custo de aquisição, somando o valor  das compras ao das taxas que constam nas  notas de corretagens;
  2. Se tiver comprado o mesmo título mais de uma vez, é só calcular o custo de aquisição de cada uma dessas compras e fazer a média ponderada entre elas;
  3. Se tiver mais de um título na mesma nota, é só fazer o rateio proporcional das taxas;
  4. Para encontrar a venda líquida, você subtrai do valor da venda o custo das taxas de corretagem;
  5. Para fechar o resultado do mês, é só subtrair o custo de aquisição da venda líquida.

Com o resultado em mãos, você deve compensar seus prejuízos acumulados de meses anteriores. 

Mas lembre-se de usar a regra do bonecão do posto: prejuízo de FIIs só abate no resultado de FIIs. Não adianta querer compensar prejuízo de day trade ou de swing trade no seu resultado de Fundos Imobiliários, hein?!

Analisando os resultados de FIIs

Com o prejuízo abatido, temos dois possíveis resultados:

  1. Prejuízo – Nesse caso você deve anotar o preju para compensar nos montes de lucro que vai ter no futuro;
  2. Lucro – Boa! Nesse caso você deve aplicar sobre o seu resultado  a alíquota de 20% para FIIs, abater os IRRFs acumulados e se jogar na DARF! 

E vale lembrar: os FIIs não entram na regra de isenção dos 20k, então não se confunda. 

E como para todo ônus há um bônus, olha que notícia boa: proventos de FIIs não tem I.R.! Mas calma, porque você deve informar esses proventos na sua Declaração Anual, ainda que eles sejam isentos, no menu Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Viu? A tributação dos Fundos Imobiliários não é difícil, só é detalhada. E para cada passo eu estou aqui para te ajudar. Ah, e se você quiser aprofundar no assunto, tenho um curso que pode te ajudar! Aproveite! 

Alice Porto
Alice Porto Contadora da Bolsa
Alice Porto é graduada em Ciências Contábeis pela PUC Minas e tem 25 anos de experiência em gestão empresarial. Especializada em contabilidade para investidores da Bolsa de Valores, ela é fundadora do canal @contadoradabolsa e autora do livro "101 Perguntas e Respostas Sobre Tributação em Renda Variável".

Leia também